Diário de obras: O guia definitivo

O D.O, RDO, ou apenas "Diário de Obras" é um velho conhecido dos canteiros de obras e da Engenharia civil. 

Esse documento é um dos mais importantes meios de controle e gestão dentro do canteiro, nele devem estar preenchidas todas as atividades desenvolvidas em cada setor do projeto. 

A resolução 1.024 de 21 de Agosto de 2009, determina via Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), como obrigatório, por parte dos profissionais ligados ao Sistema Confea/Crea, o uso do Diário de Obra ou Livro de Ordem.  Por isso é imprescindível o uso correto e articulado do D.O como ferramenta crucial para o desenvolvimento e legalidade das obras. 

Mas afinal, você realmente sabe o que é o Diário de Obras?

O Diário de Obras, para além de uma ferramenta de controle da rotina, é o principal "arquivo" de memória das atividades desenvolvidas no seu projeto. É também através dele que as ordens técnicas, falhas operacionais, imprevistos e parâmetros ligados à Segurança do trabalho, poderão ser aferidos e mensurados de acordo com o seu nível de desempenho. Além disso, este documento é responsável por comprovar a autoria de elaboração dos projetos. 

A não utilização do livro ou diário de obras, pode acarretar em diversas penalizações oficiais para a empresa e/ou responsável pelo projeto, como observado na legislação:

A falta do Livro de Ordem no local da obra ou serviço, bem como dos respectivos registros e providências estabelecidas nesta resolução, ensejará apuração de infração à alínea “c” do art. 6º da Lei nº 5.194, de 24 de dezembro de 1966, empréstimo de nome a serviços sem real participação e ao art. 9º do código de ética do profissional da Engenharia, Arquitetura, Agronomia, Geologia, Geografia e Meteorologia, com a aplicação das penalidades previstas nos arts. 72 e 73 da Lei nº 5.194, de 1966. Se confirmadas as infrações, as penalidades previstas na lei federal são de advertência e multa.

Nesse sentido,  casos omissos são examinados pelas Câmaras Especializadas envolvidas com o assunto e dirigidos ao Plenário do Conselho Regional.

O que deve constar no meu Diário de Obras?

Existem diversos dados que devem ser contemplados no preenchimento da rotina do diário de obras, confira alguns a seguir:

  • Datas de início de previsão de conclusão da obras;
  • Dados do empreendimento, de seu proprietário, do responsável técnico e da respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica;
  • A posição física do empreendimento no dia de cada visita técnica;
  • Orientação de execução, mediante a determinação de providências relevantes para o cumprimento dos projetos e especificações;
  • Acidentes e danos materiais ocorridos durante os trabalhos;
  • Os períodos de interrupção dos trabalhos e seus motivos, quer de caráter financeiro ou meteorológico, quer por falhas em serviços de terceiros não sujeitas à ingerência do responsável técnico;
  • Todos os relatos de visitas realizados, devidamente  datados e assinados pelo responsável técnico pela obra ou serviço.

Como preencher o Diário de Obras:

O preenchimento do diário de obras deve ser feito diariamente, mantendo assim uma rotina de controle e fiscalização do desempenho do projeto. Essa tarefa comumente é atribuída a um engenheiro, técnico ou responsável operacional da obra.

Saiba que você pode -e deve- incluir a tecnologia e o digital à prática do preenchimento do seu livro ou diário de obras,  com o Software do Obrasnet você não precisa ficar apegado ao papel, o controle dos indicadores de desenvolvimento, qualidade e andamento da obra, são gerados automaticamente a partir da importação do dados do seu projeto. 

Além disso, você pode agregar colaboradores ao seu diário de obras e criar usuários personalizados de acordo com as funções específicas de cada um, na gestão de obras. 

Mas se você  não é um cliente Obrasnet, ou ainda não experimentou o Teste grátis da nossa plataforma, separamos 6 dicas para o preenchimento do seu diário de obras; 

1. O diário deve ser preenchido diariamente  por cada encarregado com os serviços executados por sua equipe;

2. O diário, se realizado de forma não-digital, deve ser impresso em 2 vias e entregue ao engenheiro que controla a produção para assinatura;

3. As vias devem ser encaminhadas para a gerenciadora/fiscalização;

4. A gerenciadora devolve 1 via do diário com os seus comentários;

5. O diário é arquivado para futuras consultas (preferência em uma pasta separada por meses);

6. Dados do diário de Obras; Horário de trabalho, condição climática, mão de obra, equipamentos, atividades e tarefas, ocorrências e observações, status do relat´rio (aprovado, em revisão e etc.), imagens. 

Bastante coisa, né?

Pensando nisso o Obrasnet preparou mais um material gratuito para facilitar a sua gestão de obras! Baixe agora seu modelo gratuito para Diário de obras , uma planilha montada com as melhores práticas da plataforma de gestão de obras e projetos do Obrasnet. 

Caso tenha gostado do conteúdo, não se esqueça de assinar a nossa lista vip (gratuita) de conteúdos sobre gestão de obra, engenharia civil e finanças para projetos!

Comente

Deixe seu comentário